top of page

SAÚDE


Toda rede do SUS (hospitais, UPA, UBS, etc) está acessível para pessoas refugiadas e migrantes indocumentadas, as quais tem direito desde procedimentos básicos até os mais complexos, serviços de urgência e emergência, atenção hospitalar, assistência farmacêutica entre outros.

É possível encontrar hospitais públicos e Unidades Básicas de Saúde (UBS) em todos os estados brasileiros. Para informações sobre como utilizar o SUS, acesse a plataforma Conecte SUS.

O que devo fazer caso eu fique doente?

Leve seu Protocolo Provisório ou Carteira de Registro Nacional Migratório (antigo Registro Nacional de Estrangeiro – RNE) e CPF quando for a uma UBS pela primeira vez. Você receberá uma carteirinha do SUS. Esse documento contém toda informação médica sobre seu portador e provê acesso a consultas e exames. Você deverá levar a carteirinha do SUS toda vez que procurar assistência médica.

Em caso de urgência ou emergência, dirija-se a:

  • Unidade de Pronto-Atendimento (UPA): essas unidades oferecem assistência médica básica 24 horas por dia, todos os dias.

  • Hospitais e Unidades de Pronto Socorro (PS): algumas dessas unidades ficam abertas 24 horas por dia, todos os dias. Essas unidades oferecem assistência médica a casos mais complexos, incluindo internação hospitalar.

  • Chame uma ambulância, disque 192.

Procure os centros médicos mais próximos à sua residência no CONECTE SUS.

Devo pagar pelo medicamento que o médico me prescrever?

É possível ter acesso a diversos medicamentos gratuitos no centro de saúde do SUS em que você for consultado. Para obter o remédio de forma gratuita, é necessário apresentar a prescrição médica, a carteirinha do SUS e documento de identidade.

Há programas de farmácias que também distribuem remédios gratuitamente ou a um preço reduzido

bottom of page